África do Sul prende 3 suspeitos de tráfico de órgãos humanos

A polícia sul-africanaprendeu nesta sexta-feira três pessoas suspeitas departicipação em uma rede internacional de tráfico de órgãoshumanos entre o Brasil e a África do Sul. Lindy Dickson, de 29 anos, coordenadora de tranplantes doHospital Saint Augustine, na cidade portuária de Durban, e odoutor Jeff Kallmeyer, de 71 anos, que trabalha no mesmohospital, foram detidos durante uma busca policial durante amanhã de hoje, informaram autoridades locais. Pouco depois do meio-dia, Sam Ziegier, de 57 anos, entregou-seà polícia depois da realização de buscas em sua casa.Acredita-se que ele seja um tradutor de hebraico para inglês aserviço de um grupo de traficantes supostamente liderado porisraelenses. Os três suspeitos foram levados perante a Corte dosMagistrados de Durban e acusados de conspirar para fraudar eviolar a Lei de Tecidos e Órgãos Humanos da África do Sul. Ojuiz estabeleceu fiança de 50.000 rands (cerca de R$ 20.000)para Dickson e Ziegier e de 150.000 rands para Kallmeyer. Suspeita-se que os traficantes internacionais de órgãos teriamvasculhado cidades brasileiras - especialmente no Estado dePernambuco - durante o ano passado em busca de candidatosdispostos a vender seus rins. Depois de um check-up médico, os candidatos aprovados eramlevados a Durban, na costa leste da África do Sul, onde tinhamseus rins extraídos, disseram investigadores. De acordo com asautoridades brasileiras, cada um dos vendedores recebeu entre R$15.000 e R$ 30.000. Em um ano de investigações, seis suspeitos foram detidos naÁfrica do Sul, disse a superintendente da polícia federal MaryMartins-Engelbrecht. No Brasil, 11 prisões já foram efetuadas eoutras detenções são iminentes, garantiu ela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.