Afif nega convite formal de Dilma para ministério

Cotado para comandar o recém-criado Ministério de Pequenas e Micro Empresas, o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, voltou a negar que tenha sido formalmente convidado pela presidente Dilma Rousseff para assumir o cargo. Em entrevista exclusiva a Agência Estado, Afif afirmou que todos os seus esforços, no momento, estão voltados para o seu cargo no Estado e que continua firme com sua bandeira de defesa ao contribuinte.

CARLA ARAÚJO, Agência Estado

16 Abril 2013 | 17h57

Afif tem um bom trânsito com Dilma e integraria sua cota pessoal na nomeação. "Todas as demandas que conversei com a presidenta foram recebidas com atenção", destacou Afif, ao lembrar da recente desoneração para verbas antecipadas em Parcerias Público e Privadas (PPPs) no Estado de São Paulo.

O vice-governador destacou ainda a importância da implantação da Lei 12.741, sancionada pela presidente Dilma em dezembro, que permitirá ao consumidor brasileiro visualizar o total pago em imposto em suas notas e cupons fiscais. Segundo ele, a aprovação da lei só foi possível graças a articulação do PSD, partido do qual é fundador ao lado do ex-prefeito da capital Gilberto Kassab, e do deputado Guilherme Campos (PSD-SP), que foi o relator. "Essa é uma campanha da cidadania. Porque o cidadão, na hora em que ele sabe o quanto paga de imposto, vai cobrar muito mais qualidade do serviço público", afirmou. A previsão é que a lei passe a vigorar em junho deste ano.

Mais conteúdo sobre:
Afif ministério

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.