Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Afastado da Câmara, Genoino pedirá prorrogação de licença médica

Deputado, um dos condenados pelo mensalão, está licenciado da Casa desde agosto, quando sofreu isquemia cerebral

Ricardo Chapola - O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2013 | 15h49

O ex-presidente do PT, o deputado José Genoino, deve pedir que a Câmara prolongue a sua licença médica. Desde que teve a isquemia cerebral, em agosto, Genoino está afastado do cargo.

 

A licença do petista vence no dia 18 e vai ser renovada, segundo o advogado do parlamentar Luiz Fernando Pacheco. Na semana passada, o deputado protocolou pedido de aposentadoria por invalidez. A solicitação é avaliada por uma médica da Câmara, que ainda não se manifestou.

 

Durante o julgamento que decide se o STF vai aceitar os embargos infringentes no caso do mensalão, Genoino ficou em sua casa, na zona sul de São Paulo, sem acompanhar a sessão por recomendação médica.

 

Com chances de haver um novo julgamento, o petista disse a familiares que dormiu melhor e que está mais calmo. A empregada doméstica que trabalha na casa de Genoino disse nesta quarta-feira, 12, que ele está mais confiante do que antes, durante a primeira etapa do julgamento.

 

"Ele está bem. Está mais calmo e mais confiante. Ele disse para a gente que até dormiu melhor essa noite", afirmou, depois de encerrar seu expediente.

 

Ela disse ainda que, a pedido dos médicos, o petista parou de fumar, e passou a caminhar só no quintal de sua casa. Antes da isquemia cerebral, ele costumava andar todos os dias pela manhã pelo bairro onde mora.

 

Segundo a empregada, os médicos vão esperar até o dia 25 parar dar alta médica ao parlamentar condenado no mensalão.

 

Nesta quarta, Genoino recebeu a visita de sua fisioterapeuta às 14h, hora em que começava a sessão do STF. Tudo do que acontece no julgamento chega a Genoino por meio de seu advogado.

 

Mais conteúdo sobre:
mensalaogenoino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.