Afastada hipótese de Sars no segundo caso suspeito no Brasil

O Hospital São Paulo descartou neste sábado a hipótese de um funcionário da Toyota, de 48 anos, ser portador da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars). O caso da jornalista inglesa Sally Blower volta a ser o único suspeito de pneumonia atípica no Brasil. De acordo com o hospital, Sally está em ?franco processo de recuperação?, sem febre e respirando normalmente.O secretário de Saúde do Estado, Luiz Roberto Barradas, declarou que a jornalista passou de ?caso suspeito? a ?caso provável?. Mas, para a Organização Mundial da Saúde (OMS), o registro ocorrido no Brasil é o de um ?suposto? caso de Sars. O homem de origem japonesa, que esteve na Tailândia e desembarcou em São Paulo com febre alta, tosse seca e dores no corpo, está apenas gripado. A conclusão surgiu com a melhora do quadro e os testes virológicos feitos no paciente, internado no isolamento da Enfermaria de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital São Paulo.O médico Antonio Carlos Campos Pignatari, diretor-clínico do hospital, informou que o paciente apresenta boa evolução clínica, com melhora dos sintomas respiratórios e da febre. Os testes confirmaram que ele tem influenza A, um dos vírus causadores da gripe. O Hospital São Paulo comunicou o Centro de Vigilância Epidemiológica e deve dar alta ao paciente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.