Aeronáutica já começou a investigar acidente com Campos

O Comando da Aeronáutica já começou a investigar as causas do acidente com a aeronave em que estava o candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. O órgão, porém, ainda não tem informações sobre a quantidade de pessoas que estavam no avião, nem sobre o estado dos tripulantes.

ANNE WARTH E MARIO BRAGA, Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 13h25

O Comando da Aeronáutica confirmou apenas informações iniciais sobre o acidente. A aeronave Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, caiu por volta das 10 horas, em Santos, litoral de São Paulo.

O avião decolou do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto do Guarujá (SP). Quando a aeronave se preparava para pousar, arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.

A nota é assinada pelo Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic, chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica.

Análise política

O cientista político e colunista do jornal "O Estado de S. Paulo", Carlos Melo, disse ser difícil fazer agora qualquer análise a respeito das implicações políticas da morte do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos.

"Com a morte de Eduardo Campos o País perde, neste momento, uma liderança que estava colocada", afirmou. Segundo ele, no entanto, é preciso esperar "como as coisas vão se acomodar, como o PSB vai agir e como o eleitor vai se comportar" em relação ao falecimento do ex-governador de Pernambuco.

Mais conteúdo sobre:
eduardo camposAeronáutica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.