Aeronáutica confirma 3 novas propostas de caças

O Comando da Aeronáutica recebeu nesta sexta-feira novas propostas com melhorias da ofertas anteriores dos três concorrentes ao projeto do caça FX2, que irão substituir os caças Mirage. A Força Aérea não informa, no entanto, o prazo de conclusão das análises da Boeing (fabricante do F-18), da Dassault (que fabrica o Rafale) e da Saab (que fabrica o Gripen NG), que estava previsto para o final de outubro.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

02 Outubro 2009 | 18h25

Em nota, a FAB diz que "a partir do recebimento desse material, que se somará ao já existente, a GPF-X2 e sua equipe, composta por mais de 60 especialistas em diversas áreas, procederá à elaboração do relatório final de análise técnica das aeronaves concorrentes".

Na nota, o Comando da Aeronáutica ressalta ainda que "o relatório de análise técnica permanece pautado na valorização dos aspectos comerciais, técnicos, operacionais, logísticos, industriais, compensação comercial (Offset) e transferência de tecnologia".

Segue a íntegra da nota da FAB:

Nota à imprensa - F-X2: melhorias das ofertas

Em consonância com o cronograma do processo de seleção dos novos aviões de caça multiemprego para a Força Aérea Brasileira (FAB), o Comando da Aeronáutica informa que, por meio da Gerência do Projeto F-X2 (GPF-X2), recebeu das empresas participantes, listadas aqui em ordem alfabética: BOEING (F-18 E/F SUPERHORNET), DASSAULT (RAFALE) e SAAB (GRIPEN NG), nesta sexta-feira, 2 de outubro, último prazo estabelecido, as propostas de melhorias de suas ofertas.

A partir do recebimento desse material, que se somará ao já existente, a GPF-X2 e sua equipe, composta por mais de 60 especialistas em diversas áreas, procederá à elaboração do relatório final de análise técnica das aeronaves concorrentes, bem como a sua apresentação aos Oficiais Generais integrantes do Alto Comando da Aeronáutica. Após, o Comando da Aeronáutica o encaminhará, em data a ser definida, ao Ministério da Defesa.

O Comando da Aeronáutica ressalta ainda que o relatório de análise técnica permanece pautado na valorização dos aspectos comerciais, técnicos, operacionais, logísticos, industriais, compensação comercial (Offset) e transferência de tecnologia.

Brasília, 2 de outubro de 2009.

Brigadeiro-do-Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez

Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Mais conteúdo sobre:
caças Aeronáutica propostas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.