Aécio volta a dizer que Armínio Fraga será ministro

Candidato do PSDB à presidência afirmou que o País cria cada vez menos empregos e está sempre com a inflação no teto da meta

STEFÂNIA AKEL, Estadão Conteúdo

27 de agosto de 2014 | 13h40

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou que "fez questão" de sinalizar no debate desta terça-feira, 26, na TV Bandeirantes como será a condução da economia, se eleito. O tucano confirmou oficialmente, em suas considerações finais, que o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga seria seu ministro da Fazenda.

"Tive a oportunidade de dizer o que penso e as pessoas, com muita percepção, saberão que as propostas não são parecidas", afirmou. "Quero conduzir a política econômica com transparência fiscal e previsibilidade. Armínio será meu ministro e com isso sinalizo que temos quadros qualificados. O Brasil não é para amadores", voltou a dizer Aécio.

O tucano ressaltou que o Brasil não pode continuar sendo o "lanterna" no crescimento. Ele afirmou que o País cria cada vez menos empregos com carteira assinada e está sempre com a inflação no teto da meta. "O Brasil paga um preço caro pela inexperiência daqueles que o governam", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.