Aécio vê ''piada'' em acordo para chapa

Governador reafirma que ''não há hipótese'' de ser vice de Serra

Eduardo Kattah, O Estadao de S.Paulo

19 de maio de 2009 | 00h00

O governador de Minas, Aécio Neves, negou ontem de maneira enfática que tenha firmado um acordo no qual aceitaria compor como vice uma chapa puro-sangue do PSDB encabeçada pelo colega paulista José Serra na eleição presidencial de 2010. Demonstrando irritação, Aécio disse que "não há hipótese" de ele participar de uma chapa puramente tucana e classificou a notícia como "invencionice" e uma "grande piada".Após almoço com a cúpula e boa parte da bancada federal do PR, que declarou apoio à sua postulação presidencial, o governador afirmou que manterá sua agenda de viagens, "discutindo projetos para o País". "Não sabia que eu estava gerando tantas preocupações em tantas pessoas para uma invencionice dessas. Se há algum acordo esqueceram de me avisar." A especulação, veiculada na internet desde domingo, provocou ira no PSDB mineiro. Aliados de Aécio disseram "estranhar" o fato de a notícia surgir num momento em que consideram que a pré-candidatura de Aécio ganha "musculatura". Na semana passada, ele foi o principal nome de um evento do PSDB na Paraíba - Serra não compareceu por problemas de agenda - e dias depois foi homenageado na Associação Comercial do Rio de Janeiro, em solenidade concorrida.FHCAntes de jantar com Aécio no Palácio das Mangabeiras, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso classificou de "precipitação" a notícia do suposto acordo. Incentivador de um acerto entre os dois pré-candidatos, Fernando Henrique disse que Aécio tem razão em demonstrar irritação com o assunto. "Não existe isso, é uma precipitação, não é verdade", disse. "Uma pessoa que é candidato a uma posição não pode discutir outra posição, não tem sentido. É completamente fora de propósito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.