Aécio vai disputar reeleição com chapa puro sangue

O ex-secretário de Planejamento e de Defesa Social dogoverno de Minas Gerais, Antônio Augusto Anastasia, filiado ao PSDB, foianunciado como vice do governador Aécio Neves (PSDB) à reeleição, formando uma chapa puro-sangue (candidato e vice do mesmo partido). Anastasia se desincompatibilizou para coordenar a campanha do governador.A escolha mostra que ogovernador mineiro resistiu às pressões dos aliados políticos e manteve aopção por um perfil "técnico" como companheiro de chapa, o que lhe darámais mobilidade no futuro. Favorito absoluto para mais quatro anos àfrente do Palácio da Liberdade, Aécio é apontado como provável candidatopresidencial em 2010, abrindo espaço para que o vice assuma. A candidatura ao Senado na chapa majoritária ficou com o PL. O governadoracomodou os interesses do seu atual vice, Clésio Andrade, indicando suamulher, Adriene Barbosa Andrade, como candidata. Ela foi prefeita do município de Três Pontas e presidiu aAssociação Mineira de MunicípiosNos últimos dias, Clésio endureceu o discurso e chegou a dizer que seAécio optasse por um técnico, estaria dizendo para o Brasil que Minas Geraisnão tem políticos à altura para o cargo. O PFL mineiro tambémreivindicava abertamente a vaga de vice na chapa, mas acabou preterido.O anúncio dos dois candidatos ocorreu por volta das 23 horas de ontem, no Palácio dasMangabeiras, depois de negociações que duraram todo o dia e envolveramdiversos políticos de partidos aliados. O ministro do Turismo, Walfridodos Mares Guia, e o presidente do PTB mineiro, deputado federal RomeuQueiroz, estiveram no Palácio à noite e asseguraram o apoio formal dopartido a Aécio, que ficou ameaçado após uma interferência direta dopresidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última quarta-feira.Aécio contabilizou também o apoio formal do PSB e PL. PFL e PPjá decidiram participar formalmente da coligação que apóia a reeleição doGovernador. PT com PMDBJá na convenção do PT, após muita discussão e resistência, onome do ex-governador de Minas Gerais, Newton Cardoso, foi aprovado comocandidato ao Senado numa aliança com o PMDB. A decisão, anunciada poucoantes da meia-noite, selou a coligação formal entre os dois partidos numachapa encabeçada por Nilmário Miranda (PT). Foram necessárias duas votações,mas acabou prevalecendo o argumento de que a aliança é importante para areeleição do presidente Lula.Cardoso derrotou na convenção peemedebista o ex-presidente Itamar Franco,que tinha o apoio de Aécio na tentativa de atrair o PMDB para a suaaliança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.