Aécio teme ''injustiças'' em denúncia de Jarbas

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse ontem que respeita as afirmações do senador Jarbas Vasconcelos (PE) contra o PMDB, mas criticou a generalização das denúncias, que, segundo ele, pode levar a injustiças. "Acho que apontar nomes e fatos específicos seria um passo além da denúncia que atinge a todo um aglomerado partidário. Portanto, eu respeito as denúncias do senador Jarbas, mas em qualquer atividade, em especial na vida pública, a generalização, a meu ver, pode levar a algumas injustiças."Depois de afirmar, em entrevista à revista Veja, que "boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção" e "a maioria de seus quadros se move por manipulação de licitações e contratações dirigidas", Jarbas, em discurso da tribuna do Senado anteontem, voltou a atacar o próprio partido. Ele cobrou uma auditoria oficial nos fundos de pensão de estatais e disse que "os acontecimentos" no Real Grandeza "são uma prova clara e inequívoca" das práticas que denunciou.O PMDB costuma ser apontado como possível plano B de Aécio caso ele não consiga se viabilizar como presidenciável do PSDB em 2010. Ele nega que tenha intenção de deixar o partido.O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) apoiou ontem o senador pernambucano. "Jarbas expressou um sentimento que estava parado no ar. As pessoas estão cansadas de corrupção e impunidade. Quem tem amor ao País dará razão a Jarbas. As coisas estão demais", disse, após de participar de evento da ONG Alfabetização Solidária em São Paulo. COLABOROU CAROLINA FREITAS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.