Aécio reitera que não aceitará ser vice na chapa de Serra

Governador de Minas Gerais está em Brasília para participar de cerimônia pelo centenário de Tancredo Neves

Ana Paula Scinocca, da Agência Estado,

03 de março de 2010 | 10h35

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB-MG), cotado para vice na chapa do provável candidato do PSDB à Presidência, o governador paulista José Serra, voltou a sinalizar nesta quarta-feira, 3, que está fora de seus planos compor uma chapa puro sangue nas eleições de outubro. "Não cogito essa possibilidade", repetiu.

 

Veja Também  

linkLobo deixará secretaria para tocar campanha

linkPPS inicia campanha para chapa Serra/Aécio 

 

Aécio afirmou que vai disputar uma vaga ao Senado. "O meu papel hoje, e estou convencido disso, é estar em Minas Gerais", afirmou, depois de participar de homenagem ao centenário de nascimento de seu avô, o ex-presidente Tancredo Neves, no Congresso.

 

Ao comentar a demora do PSDB em oficializar o nome de Serra como candidato, Aécio disse ver certa aflição nas pessoas, e que cabe ao governador paulista a decisão de, ao seu tempo, posicionar-se.

 

"O PSDB tem um nome colocado da maior competência e extremamente preparado. Eu estarei ao lado do meu partido. A partir do momento em que anunciei minha retirada dessa disputa, eu fiz um gesto de desprendimento e de busca da construção da unidade partidária e, ao mesmo tempo, sai do núcleo decisório e articulador", disse.

 

Nesta quarta-feira o Congresso realizou uma sessão solene para lembrar o primeiro presidente civil após o golpe militar de 1964. Na quinta, será inaugurada em Belo Horizonte a nova sede do governo do Estado, projetada por Oscar Niemeyer, com o nome do ex-presidente. Serra, Dilma e Lula foram convidados pelo governador tucano para participar do evento de inauguração.

 

No mesmo dia reabre em São João Del Rey, completamente reformulado e com o patrocínio de empresas privadas, o Memorial Tancredo Neves.

 

As comemorações prosseguirão nas semanas seguintes com exposições, lançamentos de livros e de um documentário cinematográfico dirigido por Silvio Tendler, homenagens na Academia Brasileira de Letras (ABL) e no Museu Histórico do Rio de Janeiro e outros eventos.

 

Texto atualizado às 18h25 para o acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
Aecio NevesTancredo NevesBrasilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.