Imagem João Domingos
Colunista
João Domingos
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Aécio protagoniza inserções do PSDB e critica Dilma

Dando sequência a sua estratégia de se tornar conhecido em todo o País, o presidente do PSDB e possível candidato à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), utilizou as inserções de trinta segundos do partido apresentadas na TV na noite desta terça-feira, 10, para criticar o governo da presidente Dilma Rousseff e se apresentar aos brasileiros. "Eu sou Aécio Neves. Vamos conversar?", propôs o senador tucano no final de cada uma das inserções. Ele foi também o apresentador de todas elas.

JOÃO DOMINGOS, Agência Estado

10 de setembro de 2013 | 20h05

Nas filmetes mostrados nesta terça, Aécio focou sua atenção em três temas: quem muda o Brasil não é o político, mas o cidadão; é possível melhorar o transporte coletivo, por exemplo, abrindo mão do trem-bala; e que a inflação não está controlada. No dia 19, o PSDB levará ao ar no rádio e na TV o programa do partido, com dez minutos. A estrela principal será de novo o pré-candidato Aécio Neves. Nos dias 21, 26 e 28 serão apresentadas novas inserções. Mais uma vez, tendo o senador como protagonista.

Nas inserções, o senador tucano disse que tem muito político que adora dizer que mudou o Brasil. "Mas quem muda o Brasil todo dia é você. Você que acorda cedo para chegar ao trabalho, que economiza no mercado para pagar as contas no final do mês. Você que ainda estuda, mas já está ali dando aquela força em casa. Tudo o que o Brasil consegue é graças ao seu esforço. E agora, o que você merece é ser ouvido e respeitado. É ter um governo que leve o Brasil para a frente e que ajude você a dar o próximo passo", disse o senador, para, em seguida, se apresentar aos eleitores.

Num outro filmete, o senador disse que o governo federal quer gastar R$ 38 bilhões com o trem-bala entre o Rio e São Paulo. "Enquanto isso, o paulistano leva em média duas horas para chegar ao trabalho", criticou ele. "Em vez de desperdiçar R$ 38 bilhões, a gente quer esse dinheiro investido em transporte para todos os brasileiros", afirmou o pré-candidato.

Em uma terceira inserção, Aécio disse que, apesar de o governo afirmar que a inflação está controlada, isso não ocorre. "Você que vem ao mercado sabe que não está. Os alimentos subiram muito no último ano. E pagar a prestação está complicado. A gente precisa enfrentar esse problema agora. Para voltar a ter confiança no futuro. A primeira coisa a fazer é arrumar a casa, é ter tolerância zero com a inflação. É ter um governo que não jogue dinheiro fora e que ajude você a dar o próximo passo", afirmou o senador.

Os filmetes são apenas parte de uma ampla estratégia de autodivulgação do tucano, que inclui ainda viagens pelo País. A ideia é fazer encontros regionais nas cinco regiões brasileiras e colher informações para a elaboração de uma agenda social e econômica que servirá de base para seu programa de governo. O primeiro desses encontros ocorrerá no dia 14 de setembro, em Curitiba, capital do Paraná. No mês passado, ele foi até Ribeirão Preto (SP) e Barretos (SP), ocasião em que seus correligionários praticamente lançaram sua candidatura a presidente. O lançamento surpreendeu porque é no Estado de São Paulo que há a maior resistência interna a sua candidatura, tendo em vista o interesse do ex-governador José Serra em também participar da disputa presidencial.

Mais conteúdo sobre:
AécioPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.