Aécio pede a definição de um pacto federativo

Na festividade pela passagem do Dia de Tiradentes, o anfitrião, governador Aécio Neves minimizou qualquer divergência que possa ter surgido entre o governo mineiro e o federal nos últimos meses, principalmente depois da aplicação de uma multa ao Estado pelo descumprimento de metas da Lei de Responsabilidade Fiscal em 2001. Em discurso feito ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ? que foi por ele agraciado com a mais alta condecoração do governo mineiro -, o governador disse que o Brasil confia em Lula. Mas defendeu a urgência da definição de um pacto federativo que possa fortalecer Estados e municípios. Para isso, segundo ele, "será fundamental a realização da reforma tributária". Segundo Aécio Neves, "não há economia sem recursos tributários", assim como "não há república se não houver federação". O pronunciamento de Aecio foi feito em um discurso de saudação aos agraciados com a medalha Inconfidência Mineira.Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.