Aécio Neves faz caminhada de apoio a PSDB no Recife

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) está em campanha pelo Nordeste. Esteve nesta quinta no Recife, depois de visitar Teresina, no Piauí, João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba. Nesta sexta programa eventos eleitorais em Maceió e, depois, em Arapiraca, Alagoas. Antes de chegar a Belo Horizonte, vai dar seu apoio aos candidatos baianos em Camaçari, Feira de Santana e em Salvador. Sua participação é local e seu discurso é nacional. "Queremos mostrar as ideias-força do PSDB, até porque o modus operandi do PT já cansou", disse, pouco antes de sair em caminhada no centro comercial do Recife.

CELSO CALHEIROS, Agência Estado

27 de setembro de 2012 | 20h13

Aécio Neves se declarou surpreso com o desempenho da candidatura a prefeito do Recife Daniel Coelho (PSDB). Ele está em segundo lugar na pesquisa feita pela Vox Populi e se tornou o alvo da campanha de Geraldo Júlio (PSB), afilhado político do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e líder nas sondagens eleitorais. "Daniel é o exemplo de cara nova que o PSDB precisa mostrar", anunciou o senador por Minas, no centenário restaurante Leite, na Praça Joaquim Nabuco, ponto de concentração para a caminhada. Daniel Coelho, Aécio Neves e candidatos seguiram com os militantes de bandeira em punho pelas ruas dos bairros de São José e da Boa Vista. O evento serviu para gravação de imagens para o programa da propaganda eleitoral gratuita, distribuição de adesivos, apertos de mão e gritos de guerra.

A atendente de loja Roseane Sátiro, que estava em busca de um novo emprego no centro da cidade, recebeu a atenção de Aécio Neves e dois beijinhos de Daniel Coelho. Disse que iria votar nele, por insistência do marido. "Ele faz barulho nessa eleição e se elege na próxima", disse.

O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), aproveitou as entrevistas para responder ao senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que considerou seu colega Aécio Neves incorporado à mediocridade do Senado. Sérgio Guerra manteve o tom ríspido do ex-aliado e hoje desafeto político. "Antes, o que Jarbas falava a gente prestava atenção. Hoje, o que ele fala não tem relevância alguma", rebateu. As declarações ficaram mais amenas a partir do momento em que o personagem na berlinda era o governador Eduardo Campos. Aécio Neves o classifica como amigo e garante trocar ideias, por telefone, com regularidade. Sérgio Guerra segue no mesmo tom: "minha casa está sempre aberta para Eduardo".

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012RecifeAécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.