Aécio Neves diz que impeachment agora cabe ao Senado

O presidente do PSDB defendeu que a Câmara não tem mais o poder de anular o processo de impeachment

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2016 | 14h16

Brasília - O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), defendeu que a Câmara não tem mais o poder de anular o processo de impeachment. "Trata-se de matéria preclusa na Câmara dos Deputados. Cabe agora ao Senado Federal dar andamento ao processo que ali já se encontra", disse em nota. Nesta manhã, o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) anulou as sessões que resultaram na autorização da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e ordenou que uma nova sessão seja realizada no prazo de cinco sessões a partir da devolução do processo pelo Senado.

No entendimento do senador tucano, a votação no plenário do Senado, marcada para a próxima quarta-feira, 11, deve ser mantida. Para ele, o Brasil precisa superar esse momento de "instabilidade" e é preciso que o Senado Federal "cumpra suas responsabilidades".

Aécio disse ainda confiar que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), bem como a Mesa Diretora da Casa, irão ignorar a decisão do presidente interino da Câmara. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.