Aécio Neves diz a Lula que está 'no páreo' por Presidência

Na conversa, presidente mostrou confiança no desempenho de sua candidata, a ministra Dilma Rousseff

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2009 | 08h42

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou sobre a sucessão de 2010 com o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), por uma hora ontem à tarde. Lula quis saber do tucano se ele ainda estava "no páreo", ou se o candidato tucano a presidente seria mesmo o governador de São Paulo, José Serra. Aécio respondeu que está no jogo e que assumirá "de peito aberto" a pré-campanha pelo Brasil, assim que regressar da viagem oficial de duas semanas ao exterior. À noite, o governador embarcou para a Itália.

 

Na conversa, Lula mostrou confiança no desempenho de sua candidata, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). Para que a candidatura petista seja bem sucedida, ele aposta no alinhamento entre PT e PMDB em vários Estados, inclusive Minas. Por isso, o presidente perguntou sobre a relação de Aécio com o ministro das Comunicações, o peemedebista, Hélio Costa. Candidato ao governo mineiro, Costa articula aproximação com o tucano e não esconde sua disposição de retribuir-lhe o apoio na corrida presidencial. "Se Aécio for candidato a presidente, os mineiros têm que se unir em torno dele", disse Costa.

 

Aécio contou que sua articulação com o PMDB estadual está em aberto. Lula tem conhecimento de que o PMDB mineiro está rachado, sabe que seu ministro "tem lado" e não tem dúvidas de que este lado é o de proximidade com o governador. Ao falar sobre o quadro de Minas, Aécio reiterou o "sentimento" predominante no PSDB de que ele é opção que pode agregar mais apoios. O governador está convencido de que o debate sucessório será focado no modelo de gestão e nas propostas para garantir que as conquistas dos últimos 16 anos de administração tucana e petista avancem.

 

Lula admitiu para Aécio que havia apostado na polarização da disputa entre um candidato do Planalto - Dilma, no caso - e o da oposição. Um dirigente do PSB revela que, antes de se encontrar com o tucano, o presidente fez questão de levar ao conhecimento do partido aliado sua preocupação com a pré-candidatura presidencial do deputado Ciro Gomes (PSB-CE).

 

Embora Ciro resista em mudar seu domicílio eleitoral para São Paulo, abrindo a possibilidade de disputar o governo paulista, em vez da Presidência, Lula insiste nesse cenário - tanto que telefonou ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pedindo-lhe que, na condição de comandante do PSB, tente convencer Ciro a fazer a mudança de domicílio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2010Aécio NevesLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.