Aécio nega conselho de Lula sobre candidatura em 2010

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB) reagiu hoje às informações de que teria sido estimulado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva a não assumir a candidatura à vice-presidência da República em uma eventual chapa encabeçada pelo governador de São Paulo, José Serra, ou mesmo desistir de sua própria candidatura ao Palácio do Planalto.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

06 de outubro de 2009 | 18h25

Aécio e Lula se encontraram na semana passada, em Brasília. "Se o presidente Lula, obviamente, tiver algum conselho nesse campo, dará aos seus aliados e não aos seus adversários, até porque ele me respeita e é por isso mesmo que eu o respeito", afirmou o governador mineiro em entrevista hoje em Roma.

Para o governador mineiro, a ideia não passa de ilação de bastidores "que não tem compromisso com a verdade e com a realidade". "A minha articulação é no meu campo político. Na verdade, quem busca trazer ilações como essa em nada contribui para o bom encaminhamento desse processo".

Ele reafirmou que o PSDB tem dois nomes colocados à Presidência da República e que a decisão sobre a escolha do candidato será discutida no tempo apropriado.

Cemig

O governador mineiro se reuniu nesta terça-feira em Roma com o presidente da Terna - Rete Elettrica Nazionale S.p.A (Terna S.p.A), para finalizar os entendimentos sobre a transferência dos ativos de transmissão da Terna Participações, que foi adquirida em abril pela Cemig, por R$ 2,2 bilhões. A Terna S.p.A é a empresa de transmissão de energia elétrica do governo da Itália e controla a Terna Participações, braço da estatal italiana no Brasil. A operação já foi aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Durante o encontro, ficou acertado que a Terna Participações terá, nos próximos dias, uma assembleia geral para a escolha de novos conselheiros, que serão responsáveis pela escolha da nova direção da empresa. "Ultimamos entendimentos que farão com que os ativos de transmissão da Terna no Brasil passem à propriedade da Cemig ainda esse mês", disse o governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.