Aécio não espera decisões em reunião dos governadores

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse nesta terça-feira, 6, que a reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os governadores não deve resultar em decisões, somente em sinalizações."Eu gostaria que o presidente da República sinalizasse sua compreensão em relação à necessidade de recuperarmos a Federação, em termos de ter nos Estados parceiros efetivos nesse processo de crescimento e desenvolvimento", disse Aécio ao chegar ao encontro na Granja do Torto. "Não há expectativa de que sejam tomadas decisões aqui", disse o governador mineiro. "Nós todos temos muita cautela e sabemos das dificuldades do governo federal; temos conhecimento de que o governo federal compreende as dificuldades dos Estados." Apesar de não acreditar que o encontro resultará em decisões concretas, Aécio defendeu a reunião. "Este é um foro importante e o presidente da República certamente haverá de querer mantê-lo", disse. "Prefiro deixar para falar ao final, mas tenho uma expectativa positiva".O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), disse, antes do encontro, estar convencido de que as questões sobre segurança estariam na pauta definida pelo Planalto. "É inevitável", afirmou Cabral ao chegar à Granja do Torto.ProgramaçãoA Secretaria de Imprensa da Presidência da República informou que a reunião deve terminar por volta das 14 horas. De acordo com as informações iniciais, os 27 governadores compareceram ao encontro com Lula nesta terça-feira.O encontro teria começado às 9h40 e foi aberto por Lula, que falou por cerca de 10 minutos. Logo após, falaram os ministros das Relações Institucionais, Tarso Genro, e da Fazenda, Guido Mantega. O secretário-executivo da Fazenda, Bernardo Appy, falou sobre reforma tributária e o ministro da Educação, Fernando Haddad, sobre o Fundo da Educação Básica (Fundeb).A exposição dos ministros terminou às 11 horas, quando foi iniciada a manifestação dos governadores. Até as 12 horas, já haviam falado os governadores do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius; do Piauí, Wellington Dias; do Espírito Santo, Paulo Hartung; do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli; da Paraíba, Cássio Cunha Lima; do Mato Grosso, Blairo Maggi e do Distrito Federal, José Roberto Arruda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.