Aécio lamenta falta de empenho do PSDB com plano alternativo

Governador mineiro diz ter faltado 'mobilização' para que sua pré-candidatura ao Planalto fosse discutida

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo,

02 de fevereiro de 2010 | 17h23

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), lamentou nesta terça-feira, 2, que seu partido não tenha feito a "mobilização necessária" para que sua pré-candidatura fosse discutida como uma alternativa para o partido na eleição presidencial. Embora tenha ressaltado que "quem faz vida pública não conduz o seu o próprio destino", Aécio reafirmou que no momento seu "caminho natural" é uma candidatura ao Senado.

 

"Eu estarei à disposição do Brasil, mas a partir de Minas Gerais. E hoje meu caminho natural é uma candidatura ao Senado. Eu não saí da disputa presidencial esperando um retorno", disse o governador, um dia depois de a pesquisa CNT/Sensus indicar um quadro de empate técnico entre José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), no caso de Ciro Gomes (PSB) participar da disputa.

 

Durante visita à cidade de Araxá, na região do Alto Paranaíba mineiro, Aécio insistiu na tese do pós-Lula como melhor proposta para enfrentar o que considera uma "perigosa" estratégia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - de estabelecer uma disputa plebiscitária entre o seu governo e o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

 

O governador tucano observou que durante um ano apresentou ao partido a "proposta de uma convergência maior". "De um governo que olhasse para o futuro e que eu chamei de pós-Lula, que reconhecesse os avanços que vieram no governo do presidente Fernando Henrique, como a estabilidade econômica, e que foram continuados no governo do presidente Lula, com avanços sociais", explicou.

 

"Infelizmente não houve, por parte do meu partido, a mobilização necessária para que essa alternativa fosse discutida. Eu, para não criar um conflito maior no partido, optei por voltar-me para Minas".

 

'Difícil'

 

Aécio iniciou na semana passada uma série de pelo menos 30 viagens pelo interior mineiro para vistoriar e inaugurar obras ao lado do vice, Antônio Anastasia, candidato tucano à sua sucessão. Após inaugurar obras de infraestrutura viária em Araxá, o governador foi questionado se ainda há tempo para percorrer o País, numa referência a uma futura candidatura presidencial.

 

"Não sei. Acho que a essa altura é difícil", respondeu, evitando o assunto. "Vamos aguardar que as coisas caminhem naturalmente, o partido tem um belo candidato colocado, que é o governador José Serra".

 

Tucanos e oposicionistas alinhados à candidatura de Serra sonham com uma chapa puro-sangue, encabeçada pelo paulista e tendo o mineiro como vice, mas Aécio tem reiterado que sua prioridade passou a ser a eleição de Anastasia.

 

"Estou mergulhado no meu Estado", disse, confessando que está "encantado" com a forma que tem sido recebido. "Todo meu empenho, toda minha dedicação, todo meu entusiasmo, todo meu amor por melhorar a vida das pessoas aqui vai ser dedicado a Minas Gerais".

Mais conteúdo sobre:
eleicaoAecio NevesPSDBpesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.