Aécio grava em obras atrasadas da transposição do Rio São Francisco

Senador aproveitou périplo por três Estados do Nordeste para fazer imagens que serão usadas na propaganda institucional do PSDB; projeto deveria ter sido concluído no final de 2012

Lauriberto Braga, Especial para O Estado de S. Paulo,

31 de agosto de 2013 | 18h22

O senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), aproveitou o périplo por três Estados do Nordeste, nesta sexta-feira, 30, para gravar imagens nos canteiros de obras da transposição do Rio São Francisco. O projeto é uma das prioridades do governo Dilma Rousseff e deveria ter sido concluído no final do ano passado.

Na parada em Mauriti (CE), Aécio gravou um vídeo e revelou que pretende fazer imagens em outras obras inacabadas do governo federal. As gravações foram feitas pela equipe do PSDB. Oficialmente, serão usadas no horário institucional este ano do partido na TV.

Ao chegar a Juazeiro do Norte (CE), o tucano, ao lado do ex-senador Tasso Jereissati (CE), fez críticas à presidente Dilma pelos atrasos na obra . "A transposição já era para ter sido concluída. É muita propaganda e pouca ação. Acho difícil terminá-la até 2015. Vamos levar essa e outras denúncias ao Congresso Nacional", afirmou.

Aécio visitou ainda um projeto de irrigação entregue à comunidade de Mauriti durante a última gestão de Tasso como governador do Ceará, entre 1999 a 2002. O senador aproveitou a oportunidade para lançar o correligionário ao Senado. "Ele deve retornar à vida pública já em 2014. Trata-se de uma referência na política nacional e faz muita falta ao Congresso, mas se ele decidir voltar à política local terá todo o apoio da direção nacional do PSDB", disse.

Tasso adiou a decisão para 2014: "Não me iludo com pesquisas, pois elas representam um momento. Daqui para 2014 há muito tempo".

O político cearense também levou Aécio, como fez nas campanhas presidenciais de José Serra e Geraldo Alckmin, para conhecer o horto de Padre Cícero, uma das figuras religiosas mais importantes do Nordeste. Lá oraram e gravaram mais vídeos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.