Aécio fala em proposta ''pós-Lula'' para 2010

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), falou como candidato a presidente, em entrevista ontem no Recife. Ele disse que a campanha não deverá se centrar no antilulismo e sua grande tarefa será a de construir uma proposta pós-Lula, um projeto de Brasil que possa atrair aliados que hoje estão sob o "guarda-chuva" do presidente, como PSB e PDT, além do DEM, tradicionalmente parceiro tucano.Em sua avaliação, o PSDB pode oferecer a esses partidos uma postura ética e eficiência na gestão pública - o que não seria oferecido pelo governo Lula. "Não temos a visão de que se governa apenas criando cargo para acomodar os companheiros", criticou. "O PSDB tem a visão da gestão moderna, gastando menos com a estrutura do Estado e mais com as pessoas. Nossa visão de mundo é mais moderna." "Se o PSDB conseguir apresentar um projeto novo, otimista, moderno, ousado para o Brasil, temos condições de construir uma nova aliança para o pós-lulismo que seja boa para o Brasil, sem o radicalismo de hoje", pregou, ao frisar que Lula se equivoca e traz prejuízo ao Brasil ao "fragilizar agências reguladoras". "Isso está inibindo investimentos importantes em diversos setores."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.