Aécio fala em 'banir intervencionismo na Petrobras'

O senador Aécio Neves (PSDB- MG), possível candidato do PSDB à Presidência, abriu no início da tarde desta terça-feira, 8, um seminário organizado pelo seu partido chamado "Crise Energética Brasileira - Realidades e Perspectivas" e declarou que as discussões travadas no evento servirão como base para compor o programa de governo de sua campanha no segmento energético.

DÉBORA BERGAMASCO, Agência Estado

08 de abril de 2014 | 16h09

Em seu discurso de abertura, Aécio já indicou que vai explorar três temas principais não só no seminário, mas em sua corrida eleitoral: banir o intervencionismo governamental nas decisões da Petrobras; lutar contra o aparelhamento da estatal, passando a utilizar o critério da meritocracia para preencher as vagas na empresa; e sanear as condições fiscais da empresa para recuperar a credibilidade a fim de recuperar os investimentos privados.

"É responsabilidade do PSDB apresentar propostas de superação de crise e da nova trajetória da energia. Precisamos resgatar as agências reguladoras como um instrumento da sociedade. Mas o aparelhamento e a falta de visão do governo, que não está vendo a necessidade de elas serem compostas por meritocracia. Virou um espaço de barganha política e de malfeitos. É papel do PSDB resgatar o estado brasileiro de determinados grupos políticos, para que não haja intervencionismo e que se volte a ser um espaço adequado e seguro a investimentos", declarou Aécio Neves.

Participam do evento autoridades como a economista Elena Landau, presidente do Instituto Teotônio Vilela, no Rio; Claudio Sales, do Instituto Acende Brasil; Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura; além do Secretário de Energia de São Paulo, o deputado federal licenciado José Aníbal; e Paulo Pedrosa, da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres. (

Mais conteúdo sobre:
Aécioseimnário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.