Aécio evita falar sobre futuro de sua carreira política

No dia seguinte ao anúncio de que desistia da candidatura à Presidência da República pelo PSDB, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, evitou dar muitas declarações à imprensa. "Apenas Deus sabe o que o destino nos reserva", disse. Sem dar sinais de qual será o caminho a ser trilhado a partir de agora, ele voltou a afirmar apenas que dentro de três meses não será mais governador do Estado.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

18 de dezembro de 2009 | 13h00

Ontem, em carta à direção do PSDB justificando os motivos de sua desistência da pré-candidatura, Aécio admitiu que sua "participação não poderia mais colaborar para a ampla convergência que buscava construir". "Busco contribuir, dessa forma, para que o PSDB e nossos aliados possam, da maneira que compreenderem mais apropriada, com serenidade e sem tensões, construir o caminho que nos levará à vitória em 2010."

Hoje, durante solenidade realizada no Palácio da Liberdade, em que foi feito o comunicado da ampliação da fábrica da Helibras, em Itajubá, no sul de Minas, Aécio afirmou que o projeto permitirá que o Estado tenha o segundo polo aeronáutico da América Latina, depois de São José dos Campos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.