Aécio encontra Temer e diz que não cogita trocar de partido

Ao chegar a encontro com o presidentedo PMDB, deputado Michel Temer (SP), o governador de MinasGerais, Aécio Neves, afirmou nessa segunda-feira que estáaberto ao diálogo com todos os partidos para a construção doque chama de "projeto para o país". O PMDB, que pretende lançar candidato próprio em 2010, vemassediando Aécio para concorrer à sucessão de Lula. Apesar deconsiderar o convite de Temer "muito importante", o governadormineiro diz que não cogita trocar o PSDB pelo PMDB. "Sempre que eu tiver oportunidade de ter uma interlocução,não só dentro mas fora do meu partido, estarei aberto a ela",disse Aécio, que disputa com o governador de São Paulo, JoséSerra, a preferência dos tucanos para concorrer à Presidênciada República em 2010. Aécio não descartou que o tema da sucessão de Luiz InácioLula da Silva estará no cardápio do jantar com Temer nestanoite. "Vamos conversar sobre tudo, não há objetivo direto, final,nessa conversa", disse ainda. O PMDB seria uma opção viável ao governador mineiro caso seconcretize a opção dos tucanos por Serra. Em todas as pesquisasrecentes, Serra desponta na frente na intenção de voto doeleitorado para a escolha do próximo presidente. A ida de Aécio para o PMDB também agradaria o presidenteLula, que gostaria de vê-lo trocando o PSDB por um partidoaliado, apostando na divisão tucana para sua própria sucessão. Mesmo negando que esteja tratando da próxima eleiçãopresidencial, Aécio vem conversando com interlocutores devários partidos. Além do PMDB, teve encontros recentes comexpoentes de outras legendas aliadas ao governo, como CarlosLuppi, ministro do Trabalho e presidente do PDT, e EduardoCampos, governador de Pernambuco e dirigente do PSB, e nosábado esteve na festa de 30 anos de carreira política dodeputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP). "É cedo para isso (busca por alianças). Quero participarde uma grande construção do que falta ao país, um projeto depaís. Projeto de poder, de candidaturas, o país tem de sobras.Serei sempre uma peça a participar dessas discussõesindependentemente do meu caminho pessoal", disse Aécio. O governador deu como exemplo a sucessão na capitalmineira, onde vê uma convergência do PT e do PSDB em torno deum projeto comum.

CARMEN MUNARI, REUTERS

03 de março de 2008 | 21h26

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAAECIOTEMER

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.