Aécio: embate entre os candidatos ainda não começou

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), minimizou hoje os resultados da pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem, que apontaram a redução da vantagem do possível candidato do PSDB à Presidência, o governador de São Paulo, José Serra, sobre a pré-candidata do PT, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Para ele, as pesquisas são um "retrato do momento" e poderão mudar a partir do momento em que houver um embate entre os próprios candidatos.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

18 de março de 2010 | 15h43

"No momento em que o embate se der entre os candidatos, e não apenas entre aqueles que os apoiam, o PSDB irá demonstrar que tem as melhores condições de permitir que o Brasil dê um novo salto, quando deu quando governamos", afirmou Aécio.

Para ele, a campanha ainda não começou de fato e seria natural que a ministra crescesse nas intenções de voto. Ele ressaltou que o PT sempre teve um piso de 30% das intenções de voto, historicamente, mesmo nas eleições em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva perdeu. O governador mineiro defende que a partir de agora o PSDB passe a construir o seu discurso para o eleitorado, focando a agenda política nas reformas estruturais e também numa discussão efetiva sobre a reforma tributária.

"Temos de dizer à população porque agora vale a pena votar no PSDB e focar na agenda que não foi feita até hoje, uma nova agenda para o Brasil. A partir daí, acho que estamos muito competitivos porque temos um candidato de altíssima qualidade que é o governador José Serra."

Aécio participou hoje da inauguração da expansão do Centro de Manutenção da Gol Linhas Aéreas, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.