Aécio elogia o Congresso em pronunciamento na TV

O presidente da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), afirmou na noite desta quinta-feira, em cadeia de rádio e televisão, que a Câmara dos Deputados, considerada por ele o mais importante instrumento da democracia brasileira, promoveu em 2001 profundas transformações no Parlamento. Aécio destacou que a restrição à utilização das medidas provisórias pelo Executivo ?recuperou para o Congresso o poder de fazer leis. Naquele momento, o legislativo brasileiro renasceu?.O presidente da Câmara citou também a Comissão de Legislação Participativa, "algo marcadamente revolucionário na relação entre a Câmara e a sociedade". Com a comissão, as pessoas podem enviar à Câmara, através de sindicatos, clubes de serviço, organizações não-governamentais ou associações de bairro, propostas para projetos de lei. ?Sua proposta poderá se transformar em lei, ajudando a melhorar o Brasil", disse.Aécio destacou também que recursos do Orçamento serão destinados a projetos sociais. O parlamentar também aproveitou para divulgar o novo sistema de informações da Câmara que, segundo ele, ?possibilita o acompanhamento, pela internet, de tudo o que acontece na Câmara, garantindo total transparência dos nossos trabalhos?.O chamado pacote ético não ficou de fora do discurso de Aécio. Depois de anunciar a instalação da ouvidoria parlamentar e a criação do Código de Ética e Decoro da Câmara, o deputado lembrou que, ?em parceria com o Senado, aprovamos o projeto que muda o conceito de imunidade. A partir de agora, qualquer parlamentar acusado de crime comum será processado sem necessidade de licença do poder legislativo?.?Mais uma vez com o apoio do Senado, a Câmara tomou a iniciativa de intermediar o fim de greves do setor público?, prosseguiu sobre a greve de mais de 90 dias na educação. ?Cortamos emendas dos parlamentares para viabilizar o aumento do salário mínimo e corrigimos a tabela do imposto de renda, beneficiando milhões de brasileiros?, disse.Aécio encerrou a fala com um discurso de candidato. ?Todos nós temos um sonho em comum: o sonho de viver em um Brasil mais justo e solidário, sem as vergonhas e as contradições sociais que ainda nos cercam?. No final do pronunciamento, ele desejou paz e saúde aos brasileiros. ?Que o ano novo nos traga paz, saúde e coragem para enfrentar os desafios que certamente teremos pela frente. E que Deus proteja nossos filhos e todas as famílias brasileiras?. disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.