Aécio diz ter mais potencial que Serra

Com números de uma pesquisa eleitoral feita pelo instituto mineiro Vox Populi, o governador de Minas, Aécio Neves, fez campanha ontem no Congresso pelas prévias do PSDB para escolha do candidato tucano a presidente. Sorridente, ele trouxe na ponta da língua os dados que, ao menos em um quesito - potencial de crescimento -, lhe dariam vantagem sobre o governador de São Paulo, José Serra.De acordo com os números apresentados aos parlamentares no Congresso, o governador mineiro, no caso de se tornar candidato do PSDB à Presidência, teria mais condições de assegurar e atrair votos. "Quem conhece Aécio vota em Aécio", resumia o presidente do PSDB mineiro, deputado Paulo Abi-Ackel, na escolta política do governador.De acordo com a assessoria do governador mineiro, ele tem a fidelidade de 44% dos eleitores que o conhecem bem, enquanto Serra registraria 32%. Na matemática pregada pelos aecistas, com mais exposição política, Aécio seria teria a capacidade de atrair mais e fiéis votos, o chamado potencial de crescimento eleitoral.Aécio propõe que o PSDB realize as suas prévias até novembro, para que o candidato tucano à Presidência seja apresentado ao País ainda este ano. "Se não houver acordo entre os dois candidatos, este é o caminho", admitiu o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).Temeroso de um racha que indisponha o candidato paulista com os mineiros, que representam o segundo maior colégio eleitoral do País, o grupo ligado a Serra defende um entendimento que dispense a realização de prévias. Tasso avalia que a união dos dois é "muito provável", mas admite não saber "se é possível" transformar essa união em uma chapa puro-sangue.LIDERANÇAComo Serra lidera todas as pesquisas de intenção de voto, inclusive a do Vox Populi - a depender do cenário, ele obtém 40% a 45% das preferências -, o sonho dos serristas é ter Aécio como vice. "Em política, o imbatível não existe, mas difícil de ser derrotada é", afirmou Tasso, referindo-se à chapa puro-sangue. Para o secretário-geral do PSDB, deputado Rodrigo de Castro (MG), o importante da pesquisa é que os tucanos podem comemorar dois fatos: além de ter o líder, tem o candidato com o maior potencial de crescimento. "Melhor ainda, ficou claro que o desempenho da candidata do PT não é tão bom e que não será fácil carregar esta candidatura", concluiu Castro, alfinetando a ministra da Casa Civil e pré-candidata, Dilma Rousseff.Mal chegou ao plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, à procura de Tasso, Aécio foi surpreendido com uma manifestação do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que pediu a palavra para defender a consulta às bases na escolha do candidato tucano. "Não há nada mais importante para a democracia do que as prévias", disse Suplicy, que fez questão de lembrar a própria "façanha" de ter disputado as prévias petistas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva."Mas o Lula nunca te perdoou por causa disso", atalhou, em aparte, o senador Pedro Simon (PMDB-RS). Em meio às risadas suprapartidárias do plenário, Simon lembrou ao petista que a ousadia custou caro. Aécio não passou recibo. "É muito bom receber esse tipo de apoio. Se quem perde acha tão bom, imagine quem ganha", arrematou. FRASESAécio NevesGovernador de Minas"É muito bom receber esse tipo de apoio. Se quem perde (as prévias) acha tão bom, imagine quem ganha"Rodrigo CastroDeputado (PSDB-MG)"Ficou claro que o desempenho da candidata do PT não é tão bom e que não será fácil carregar essa candidatura"Eduardo SuplicySenador (PT-SP)"Não há nada mais importante à democracia do que prévias"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.