Aécio diz que vai acabar com metade dos ministérios

O candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, afirmou hoje que vai acabar "com metade dos ministérios que estão aí", e que governará o Brasil com um numero de pastas que não será superior a 22 ou 23. Ele também disse que vai extinguir a Secretaria da Pesca.

RICARDO LEOPOLDO, Estadão Conteúdo

27 de setembro de 2014 | 12h41

"Vamos racionalizar a máquina pública. Vou criar o grande Ministério da Infraestrutura com um profissional altamente qualificado, que inspire confiança nos parceiros privados para que sejam agentes do desenvolvimento nacional", comentou. "Vou criar o Superministério da Agricultura, que vai se sentar na posição de igualdade com o Ministério da Fazenda em políticas de crédito, e da Infraestrutura, na definição dos investimentos mais essenciais" para ampliar a competitividade do País.

Aécio afirmou ainda que, se eleito, pretende que as desonerações impactem as receitas de municípios. O candidato afirmou que, se eleito, terá uma relação de profundo respeito às instituições e à imprensa. "Enquanto estivermos atuando na política, a liberdade de imprensa será plena", destacou.

O candidato do PSDB à presidência da República ressaltou que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez muitos investimentos no Estado com pouco ou "quase nula" colaboração financeira da União. "Não existe dinheiro federal, mas público, que precisa ser aplicado onde é necessário", ponderou. Comigo na presidência, Alckmin fará o maior governo da história de São Paulo", disse. Aécio concedeu neste sábado entrevista coletiva a jornais do interior de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécioministérios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.