Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Aécio diz que PSDB estuda possibilidade de impeachment

Parlamentar afirmou que sigla está discutindo todas as alternativas, mas que nenhuma decisão sobre o assunto foi tomada ainda

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

14 Abril 2015 | 16h44

Brasília - O presidente do PSDB e senador,  Aécio Neves (MG), confirmou nesta terça-feira, 14, que o partido estuda a possibilidade de entrar com um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Ele disse, porém, que nenhuma decisão sobre o assunto foi tomada. 

"Nós estamos discutindo absolutamente todas as alternativas. Mas não existe uma posição, até este momento pelo menos, do PSDB de protocolar institucionalmente o pedido de afastamento da presidente", disse. 

Segundo ele, o partido espera o parecer do jurista Miguel Reale Junior sobre se a presidente cometeu crime de responsabilidade fiscal para tomar uma decisão sobre o assunto. 

Apesar de dizer que ainda não há provas concretas contra Dilma, Aécio voltou a repetir a tese que vem sendo usada pela oposição de que impeachment é um mecanismo previsto na Constituição. "Impeachment não é uma palavra proibida. Impeachment não é golpe. É uma previsão constitucional", disse. 

O tucano participa nesta tarde de uma reunião com membros das bancadas da Câmara e do Senado em Brasília. Mais cedo, ele se encontrou com lideranças dos movimentos que organizaram as últimas manifestações de rua. Segundo o senador, o partido vai participar de um ato nesta quarta, em Brasília, para discutir como os movimentos e a oposição podem agir em conjunto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.