Aécio diz que prévias no PSDB terão de ser 'sem traumas'

Partido aposta em consenso entre o governador de Minas e Serra para evitar a realização de prévias

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

28 de julho de 2009 | 17h12

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, disse nesta terça-feira, 28, que sua proposta de realização de prévias no PSDB para definir um candidato do partido à presidência da República nas eleições de 2010 deverá ser feita "sem traumas", quando chegar o momento.

 

Veja também:

especial Especial: Força e vício dos partidos brasileiros

link Executiva Nacional do PSDB aprovou regulamentação das prévias

 

Aécio comentou que está fazendo visitas a alguns Estados para participar do processo de recadastramento dos filiados ao PSDB, com a aprovação do Diretório Nacional. Especificamente sobre as prévias, o governador afirmou que, "quando chegar o momento, haverá, sem traumas e sem resistências, uma consulta à base sobre qual a melhor proposta do partido a ser levada às eleições."

 

A Executiva Nacional do PSDB aprovou este mês a regulamentação das prévias internas para a escolha de seu candidato a presidente em 2010, caso não haja consenso entre os governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas Gerais, Aécio Neves. O texto é do secretário-geral do partido, deputado federal Rodrigo de Castro (MG).

 

De acordo com as regras, será levado em consideração o peso eleitoral de cada Estado para a computação dos votos. Ou seja, Estados como São Paulo e Minas, primeiro e segundo colégio eleitoral do País, respectivamente, terão peso maior.

 

Apesar de o documento ainda não explicitar quem poderá participar da consulta, foi definido setembro como prazo para se ter o tamanho do colégio eleitoral. Ainda não se sabe se poderão votar todos os filiados ou apenas os que detêm mandato eletivo. Serão considerados filiados aqueles que ingressaram no partido até outubro de 2008. O objetivo é evitar filiações em massa na véspera de uma disputa.

 

As prévias partidárias eram uma demanda de Aécio. Grande parte do PSDB, no entanto, vê com ceticismo a consulta interna. A aposta mais comum no partido é que haverá uma composição entre Serra e Aécio até o ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.