Aécio diz que pode não haver aumento do IOF

O presidente da Câmara, Aécio Neves, afirmou nesta quinta-feira que é fundamental que o Senado apresse a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prorroga a CPMF.Segundo ele, somente após a conclusão da votação da PEC da CPMF será possível identificar o tamanho da perda que houve com a não arrecadação da contribuição.Aécio admite que é possível até que não haja aumento do IOF para compensar as perdas de arrecadação. "O que vai determinar isso é a agilidade da votação da CPMF no Senado", disse.O presidente da Câmara não descartou a possibilidade de o governo investir na supressão da "noventena" para o início da cobrança da CPMF. No seu entender, "se for possível a superação das questões da noventena - pois ainda existem dúvidas jurídicas a respeito da matéria -, é possível até que não haja aumento do IOF".Aécio citou ainda aumentos de impostos e cortes nos gastos públicos como alternativas para o ressarcimento das perdas nas contas do governo. Sua expectativa é que a votação da PEC da CPMF possa ser concluída na terça-feira.A partir daí, afirmou, sua prioridade será trabalhar pela reforma tributária. Aécio Neves minimizou ainda a discussão em torno de mudanças nas regras de tramitação de medidas provisórias como forma de evitar o trancamento da pauta de deliberações na Câmara e Senado. "Estamos aprendendo. Agora está havendo parcimônia (do governo) na edição de medidas provisórias", afirmou ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.