Evelson Ferreira/Estadão
Evelson Ferreira/Estadão

Aécio diz que erário agradece não criação da Futebrás

Depois de criticar a intenção do governo de intervir no futebol e receber resposta da presidente Dilma Rousseff, o candidato do PSDB ao Planalto, Aécio Neves, ironizou as declarações da adversária por meio de sua página no Facebook. Segundo Aécio, a notícia de que o governo não pretende criar uma estatal para cuidar do futebol é boa para os cofres públicos, mas não para os "companheiros" de Dilma.

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

12 de julho de 2014 | 17h01

"A presidente Dilma nos informou hoje, pelo Twitter, que não vai criar a ''Futebras''. Talvez isso entristeça alguns de seus companheiros, mas traz enorme alívio para milhões de brasileiros. Afinal, seria a 14ª estatal criada pelo governo do PT, a sétima só no seu governo. Os cofres públicos agradecem!", ironizou Aécio.

A discussão teve início ontem quando Aécio acusou o governo de oportunismo ao anunciar a intenção de uma maior interferência estatal no futebol. Hoje pela manhã, Dilma rebateu o tucano em seu Twitter dizendo que "os que queriam transformar a Petrobras em Petrobrax, desvirtuam, agora, nossa posição de apoiar a renovação do nosso futebol". Quando a presidente fala em Petrobrax, se refere a um processo iniciado no governo Fernando Henrique Cardoso para mudar o nome da estatal brasileira de petróleo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.