Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Aécio diz que Dilma 'se acovardou' ao desistir de pronunciamento no Dia do Trabalho

Senador tucano engrossou críticas feitas também pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB)

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

30 Abril 2015 | 18h53

BRASÍLIA - O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), acusou a presidente Dilma Rouseff de ter "se acovardado" ao decidir não fazer o seu pronunciamento habitual do Dia do Trabalho, comemorado nesta sexta-feira.


"É lamentável que a presidente Dilma Rousseff tenha se acovardado e resolvido não falar aos brasileiros por ocasião das comemorações pelo 1° de Maio. Quem sempre se mostrou tão loquaz, agora evita dirigir-se à população numa data de tanto simbolismo para os brasileiros", afirmou Aécio em nota divulgada pela assessoria do PSDB.


No texto, o tucano questiona  por que Dilma "teme tanto os trabalhadores" e afirma que ela deveria ir à TV dar explicações sobre "maior arrocho recessivo da história recente do País".


Aécio também critica a presidente por ter feito mais de 20 pronunciamentos durante o seu primeiro mandato e afirma que a desistência desta vez comprova que os discursos eram "proselitismo político, marketing enganoso e propaganda ilegal".



Na última segunda-feira, o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, confirmou que Dilma não faria o pronunciamento na TV, e divulgaria uma fala apenas na internet. O motivo da desistência teria sido o medo de um novo panelaço, como o que ocorreu em março, durante a transmissão do seu discurso em comemoração do Dia da Mulher.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.