Aécio diz que campanha de Alckmin deslancha após a Copa

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), procurou minimizar o resultado da pesquisa CNT/Sensus, que aponta a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro turno em qualquer cenário eleitoral. Para Aécio, a campanha do candidato tucano, Geraldo Alckmin, irá deslanchar somente após a Copa do Mundo. A pesquisa mostra que Lula ganharia ainda no primeiro turno, em todos os cenários simulados.Apesar de Alckmin ter recuado nas intenções de voto, Aécio disse que o atual patamar "não é ruim para quem está iniciando a campanha". "Após a Copa do Mundo é o momento da candidatura realmente avançar, mas o nosso patamar de hoje não é o patamar ruim para quem está iniciando a campanha. Nós temos metade das intenções de voto, em torno de 20%, do que tem o presidente da República que disputou quatro eleições presidenciais", disse o governador mineiro.Ele observou que os tucanos não esperavam nenhuma mudança no favoritismo e Lula. "Até porque não ocorreu nenhum fato, a não ser a propaganda institucional do governo de forma avassaladora como nós estamos assistindo a todos os instantes nas televisões, rádios e em todos osmeios de comunicação."Segundo Aécio, o PSDB manterá a estratégia de tornar Alckmin um candidato mais conhecido nacionalmente, por meio de viagens pelo País. Na noite desta quinta-feira, disse, o candidato deverá visitar o Alto Paranaíba mineiro e, na sexta-feira, participar de um evento da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) em Belo Horizonte.Para o governador, "um presidente que é conhecido por 100% da população e não chegou aos 50% é que deve ter mais preocupações do que nós, que vamos tornar o nosso candidato conhecido".Pelos cálculos de Aécio, Alckmin tem atualmente entre 60% e 65% de conhecimento entre o eleitorado nacional. "Acredito que nós temos uma boa chance. Não é uma eleição fácil", admitiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.