Aécio diz que aliança em Minas não favorece campanha

A campanha do presidenciável do PSDB, José Serra, enfrenta dificuldades em Minas Gerais, onde ele foi ultrapassado por sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT). No período de dez dias, o tucano faz hoje a terceira visita ao Estado, onde o ex-governador Aécio Neves montou um arco de alianças apostando em sua própria candidatura à Presidência, mas acabou candidato ao Senado. O próprio Aécio admite que a campanha estadual, focada na reeleição do governador Antonio Anastasia (PSDB), cooptou "setores aecistas ligados ao governo Lula", que não trabalham por Serra.

AE, Agência Estado

04 de agosto de 2010 | 10h33

Dilma abriu 12 pontos de vantagem sobre Serra em Minas, o segundo maior colégio eleitoral do País. De acordo com pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, a petista tem 44% das intenções de voto, contra 32% do tucano. A lista de aliados na campanha pela reeleição de Anastasia inclui partidos lulistas como PP, PDT e PSB. "Cobrar desses segmentos que venham para a campanha nacional é desconfiança ou má-fé", declarou Aécio, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, dizendo que esses partidos estão coligados com Dilma no plano federal.

"O Serra vai vencer a eleição em Minas", apostou Aécio, afirmando estar otimista após a visita a Montes Claros, onde 83 dos 92 prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Norte de Minas declararam apoio a Anastasia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.