Aécio divide elogios entre FHC e Itamar

O governador Itamar Franco (PMDB) procurou fazer da solenidade em comemoração ao Dia de Minas Gerais, nesta segunda-feira, na cidade histórica de Mariana, uma espécie de contraponto ao aniversário de sete anos do Plano Real, comemorado pelo Palácio do Planalto na última semana.Segundo Itamar, "o governo federal comemorou os 7 anos do Plano Real com algumas afirmações sobre seus resultados, que contrariam a verdade e a sua origem."O presidente da Câmara dos Deputados, Aécio Neves (PSDB), condecorado na cerimônia com a comenda oficial da data e convidado por Itamar para ser o orador oficial da solenidade, reconheceu a "paternidade" do plano como sendo do governador mineiro."As dificuldades atuais de nosso País, ao reclamar a contribuição do patriotismo de todos, não podem desmerecer o grande esforço nacional para a estabilização monetária, iniciada durante o mandato de Vossa Excelência na chefia do Estado Nacional e continuada sob o comando do presidente Fernando Henrique Cardoso", disse o tucano, que dividiu sem constrangimento o palanque com Itamar.Aécio disse que, por força do cargo que ocupa, é muito mais representante das instituições legislativas do que porta-voz de posições partidárias."Mas nem com isso deixo de ser solidário com o governo que ajudei a eleger", ressaltou.Em sua fala, Itamar relembrou o discurso proferido no dia 30 de junho de 1994, quando ocupava a presidência - na véspera do anúncio do Plano Real. O governador de Minas disse que não poderia "prever que a estabilidade da moeda serviria de pretexto para a renúncia à soberania nacional, o desmantelamento do Estado, a alienação do patrimônio público, o exílio de nossos cientistas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.