Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Aécio defende o governo federal no caso Waldomiro

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), que assistiu aos desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Rio, defendeu o governo federal aocomentar o escândalo envolvendo o ex-assessor do Palácio do Planalto Waldomiro Diniz. "Este é um problema grave que tem de ser investigado com profundidade, mas não podemos deixar que isso paralise o País, em benefício de todos os brasileiros", disse o governador."Interessa ao governo mais do que a qualquer outro segmento que a apuração aconteça com extremo rigor, para que ele saia fortalecido". Questionado se o episódio macula a imagem do PT, que tem como bandeira a ética, Aécio alfinetou: "Com certeza aqueles que acharam que tinham o monopólio da ética devem estarpreocupados".Aécio assistiu aos desfiles do camarote da Estrada Real, patrocinado por empresas mineiras, ao lado da filha, Gabriela, de doze anos. Ele vai sair à frente da Mangueira, ao lado do presidente da escola, Álvaro Caetano. A Mangueira desfilará um enredo sobre a estrada. O governador se disse torcedor da escola, na qual já saiu em outras carnavais.No mesmo camarote estavam a ministra das Minas e Energia, Dilma Roussef, e o deputado Professor Luizinho (PT-SP), vice-líder do partido na Câmara dos Deputados. O parlamentar também defendeu o governo ao comentar o caso Waldomiro. Disseque o governo exonerou o ex-assessor antes mesmo do início da apuração dos fatos. "Isso nunca aconteceu antes", afirmou. Dilma não deu declarações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.