Aécio defende gestão eficaz para evitar crise mundial

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), defendeu a necessidade de uma gestão pública eficiente e o planejamento das ações governamentais para evitar a contaminação por crises financeiras internacionais como a atual. Segundo nota de sua assessoria de imprensa divulgada hoje, o governador mineiro, que se reuniu com um grupo de economistas no Instituto de Estudos de Política Econômica (IEPE), mais conhecido como Casa das Garças, no Rio de Janeiro, reconheceu que ainda é cedo para dimensionar as conseqüências da crise atual para o mundo e para o Brasil.Aécio apresentou aos economistas a trajetória dos programas de gestão e desenvolvimento implantados no Estado, que, em 2003, estava com 63% da sua receita comprometida, sem acesso a linhas de crédito internacional. Ele explicou que ao assumir, no primeiro mandato, aproveitou o capital político que tinha para implantar mudanças estruturais que seriam fundamentais. Conforme Aécio, o chamado Choque de Gestão, aliado a uma política de desenvolvimento planejada, possibilitou que o Estado saísse de um déficit de R$ 2,3 bilhões, em 2003, para um superávit de R$ 81 milhões, em 2006.Além deste modelo foram estabelecidas metas com vistas ao ano de 2023, incluindo índices de crescimento econômico e variados indicadores sociais e ainda os arranjos produtivos de cada região serão apoiados e incentivados pelo Estado. Segundo Aécio Neves, a recuperação das contas públicas no Estado incluiu o esforço no aumento da receita e no enxugamento dos gastos com a máquina pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.