Aécio defende em Lisboa governo Temer sem fiéis partidários

Senador destacou que um governo interino do vice-presidente Michel Temer deveria ser composto pelas pessoas mais bem qualificadas

Associated Press, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2016 | 11h31

Lisboa - O senador Aécio Neves (PSDB) disse que o partido quer que o Brasil mantenha a agenda de eleição presidencial em 2018, destacando que um governo interino do vice-presidente Michel Temer deveria ser composto pelas pessoas mais bem qualificadas, não fiéis partidários. Ele comentou que a presidente Dilma Rousseff está perdendo poder em meio ao escândalo de corrupção que está comprometendo sua capacidade de tirar o país da pior recessão em décadas.

"O que nós podemos ver acontecendo no Brasil é que o governo perdeu sua legitimidade, sua capacidade de governar", disse Neves ao participar de uma conferência em Lisboa, Portugal, que conta também com outros participantes vistos como oponentes de Dilma Rousseff.

A presidente Dilma Rousseff tem dito que não cometeu nenhum crime que possa levar á sua saída, mas seus apoiadores de governos a estão abandonando. O maior partido da coalizão, o PMDB, anunciou que está deixando o governo.

"Não há uma saída fácil" da crise, disse Neves, que perdeu por pouco a eleição presidencial de 2014 para Dilma Rousseff.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.