Aécio critica PT e cobra providências de Dilma sobre protestos

Tucano afirmou que colocar militância petista na rua diluiu cobranças feitas ao governo

O Estado de S. Paulo ,

21 Junho 2013 | 18h36

Texto atualizado às 19h15

SÃO PAULO - O presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, acusou nesta sexta-feira, 21, o PT de tentar se apropriar dos protestos desta quinta-feira para colocar militantes nas ruas com "claro intuito de diluir cobranças feitas ao governo federal". O tucano, provável candidato à Presidência em 2014, cobrou providências da presidente Dilma Rousseff.

Na quinta-feira, o presidente do PT, Rui Falcão, conclamou militantes do partido, por meio do microblog Twitter, para uma passeata liderada pelo Movimento Passe Livre (MPL), na Avenida Paulista. Falcão tinha convocado petistas para as manifestações em comemoração à redução nos preços das passagens de ônibus, mas recuou e retirou a hashtag "#ondavermelha" do seu perfil do Twitter.

"É inevitável constatar o oportunismo do alto comando do PT, que tenta se apropriar de um movimento independente, ao determinar que militantes do partido se misturem aos manifestantes com o claro intuito de diluir as cobranças feitas ao governo federal", afirmou o tucano, em nota.

Aécio disse que o PT "desrespeitaria o sentido apartidário do protesto". "Trata-se de decisão irresponsável que desrespeita o sentido apartidário dos protestos, colocando em risco, inclusive, a segurança de seus próprios militantes, alguns deles hostilizados ontem em várias partes do país", afirmou no texto.

"Tendo em vista a dimensão alcançada pelos últimos eventos, o País continua aguardando a palavra da Presidente da República aos brasileiros".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.