Aécio critica medidas econômicas pontuais do governo

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou nesta segunda-feira, 30, no Exame Fórum 2013, em São Paulo, que o governo vem tratando política macroeconômica com instrumentos de microeconomia, em uma referência às medidas pontuais para a economia, como as desonerações. "Quem está fora dos subsídios, está incomodado, mas quem está dentro, também, porque não pode ficar na insegurança das decisões provisórias e do humor da presidente", disse.

GUSTAVO PORTO E JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

30 de setembro de 2013 | 13h04

O senador defendeu uma desoneração "mais horizontal" e preservando receitas de Estados e municípios. "Os Estados estão virando meros administradores de folha de pagamento. Podem ser feitas desonerações, mas que o governo restitua no ano seguinte, benefícios tirados em saúde, educação", avaliou.

Aécio defendeu a principal bandeira do governo federal, o Bolsa Família, e avaliou que o programa está "integrado à paisagem econômica e social", mas cobrou transparência e até mesmo propôs medidas para seu aperfeiçoamento. "O Bolsa Família não tem transparência alguma. Eu não sou contra o programa, mas é preciso medidas como a manutenção de benefício para quem começou a trabalhar recentemente por seis meses, ou um plus aos que voltarem a estudar", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
Presidenciáveisfórum

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.