Aécio critica governo federal e cobra parceria em obras

Governador de MG cobrou parceria da gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para obras

Gustavo Posto, enviado especial da Agência Estado

26 de março de 2010 | 12h43

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), criticou nesta sexta-feira, 26, o governo federal e cobrou parceria da gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para obras no Estado. Aécio visitou Passos, no sudoeste de Minas, onde inaugurou a Ponte Tristão da Cunha, nome do avô dele, sobre o Rio Grande. Em clima de campanha, Aécio disse que os adversários ligados a Lula terão de "trabalhar muito" para derrotar o PSDB na eleição do sucessor no Estado. O candidato do partido será o vice-governador, Antônio Anastasia.  

 

Veja tambem:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gifSerra e Aécio afinam discurso tucano contra 'plebiscito'

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gifTucano recua em aquisição da Ampla pela Cemig

 

"Vão ter de trabalhar muito, porque nossa força não vem da simpatia pessoal, mas do trabalho", afirmou. "E eu gostaria que o governo federal nos ajudasse em ações importantes, como no metrô da capital (Belo Horizonte), no sistema viário e em ligações asfálticas." Segundo Aécio, durante os oito anos de governo em Minas, foram asfaltados mais de seis mil quilômetros de rodovias pela administração estadual, enquanto nas seis cidades com estradas sob responsabilidade do governo federal, em um total de 200 quilômetros de rodovias, pequenos projetos de recuperação foram feitos.

"Queremos uma parceria maior", cobrou novamente Aécio. Sobre as eleições para presidente, ele disse que estará à disposição do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e que a possível eleição dele é importante para o Brasil porque marca um "novo ciclo de gestão pública". No entanto, o governador mineiro, que deve se candidatar a senador, deixou claro que a prioridade é eleger Anastasia sucessor.

"Estarei dedicado a ajudar em Minas e fora de Minas o governador Serra, mas estarei empenhado, diuturnamente, para que Minas não sofra um retrocesso", afirmou. "E vamos continuar crescendo, vamos seguir com o Anastasia. Se queremos retrocesso, teremos outra alternativa."

Anastasia

Aécio disse ainda que o desempenho de Anastasia nas pesquisas eleitorais mostra crescimento sólido, apesar de o vice-governador ainda ser um nome pouco conhecido. Por fim, Aécio afirmou que seu caminho natural é disputar uma vaga ao Senado e que o ex-presidente Itamar Franco, pré-candidato a senador pelo PPS, é "preparado e digno", mas que uma decisão sobre a dobradinha ao Senado e o nome do vice de Anastasia só será tomada entre o fim de maio e o começo de junho.

O governador atravessou a pé a ponte de 680 metros, que liga Passos a São João Batista do Glória, no interior mineiro. Compareceram à inauguração, aproximadamente, cinco mil pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.