Aécio critica forma de pagamento a médicos cubanos

Em visita ao Hospital Infantojuvenil Luiz Inácio Lula da Silva, uma ala do Hospital do Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aproveitou a presença da imprensa para criticar o governo federal e atacar o programa Mais Médicos, considerado a vitrine do setor de saúde do governo Dilma Rousseff. "Não tenho preconceito em relação à origem dos médicos. O que me causa estranheza é a remuneração ser feita a um governo autoritário (de Cuba) e o fato de não sabermos quanto receberão os médicos de lá", disse Aécio.

PEDRO VENCESLAU, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

24 de agosto de 2013 | 14h50

O giro do senador mineiro pelo interior paulista está sendo tratado por correligionários de Aécio como o primeiro passo do senador à corrida pela Presidência da República. A agenda e o ritmo das atividades do senador em Barretos hoje e em Ribeirão Preto ontem lembram, de fato, uma campanha eleitoral. Ontem em Ribeirão Preto, Aécio foi tratado o tempo todo como "presidente", beijou crianças, posou para fotos e fez, como de praxe, discursos inflamados criticando o governo federal e dizendo que chegou a vez de o PDSB governar o Brasil.

Hoje, em Barretos, Aécio visitou o Hospital do Câncer da cidade ladeado por deputados, vereadores, dirigentes partidários e pelo secretário de Energia do Estado de São Paulo, José Aníbal. Durante a visita, Aécio conheceu as instalações do hospital, conversou com crianças doentes e chegou até a entrar no setor das Unidades de Terapias Intensivas (UTIs).

O deputado estadual Pedro Tobias, ex-presidente estadual do PSDB, trajava uma camiseta onde se lia "Sou Aécio, sou Geraldo". Questionado pela reportagem sobre a mensagem, o tucano disse que foram confeccionadas apenas duas camisetas. Durante todo o tempo, Aécio demonstra tomar cuidado para não ultrapassar a linha do que pode ser considerada uma campanha eleitoral antecipada.

O anfitrião do senador e responsável pela mobilização dos tucanos em Barretos e Ribeirão Preto é o deputado federal Duarte Nogueira , presidente estadual do PSDB e homem muito próximo do governador Geraldo Alckmin, que preferiu não comparecer para a tradicional festa da Queima do Alho, principal cerimônia das atividades gastronômicas que fazem parte da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos. Aécio, por sua vez, além de um encontro político na tarde de hoje, participará da Queima do Alho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.