Aécio critica falta de conhecimento de Marinho sobre Lei kandir

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), criticou o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, que ontem defendeu que os Estados abram mão do ressarcimento das perdas provocadas pela Lei Kandir. Esta seria uma saída, segundo Marinho, para que o governo ofereça um bom aumento para o salário mínimo e reajuste as tabelas do Imposto de Renda para Pessoa Física.Em nota divulgada à imprensa, Aécio considerou "inacreditável o pouco conhecimento do ministro" sobre o processo de compensação aos Estados. Segundo o governador, as garantias no orçamento para ressarcimento de parte das perdas não são uma demanda dos Estados. "É uma demanda fundamentalmente do setor exportador que, sem esses recursos, não terá seuscréditos compensados por inúmeros Estados, o que significaria uma grande perda de competitividade do setor que é hoje a âncora fundamental da política macroeconômica do governo federal", diz o texto.Aécio afirmou também que todos defendem o maior reajuste possível do salário mínimo e que a oposição irá votá-lo. "Mas essa questão tem de ser tratada com maior responsabilidade e com menos demagogia. Cabe ao governo federal redefinir suas prioridades para viabilizar o desejado e justo aumento do mínimo", defendeu o governador, na nota divulgada hoje.A apresentação de uma proposta tão "desconectada da realidade", segundo o governador mineiro, talvez se deva ao fato de ele (Marinho) não ter participado de nenhuma das reuniões que os governadores tiveram com a área econômica do governo federal e com o próprio presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.