Aécio critica estratégia do governo contra a inflação

O senador mineiro Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à Presidência da República, afirmou nesta quinta-feira que o governo federal não tem utilizado "todos os instrumentos" disponíveis para controlar a inflação. Questionado pela reportagem se nisso incluía a subida da taxa básica de juros, a Selic, o senador tucano não quis se comprometer.

RICARDO BRITO, Agência Estado

11 Abril 2013 | 16h29

"Eu não posso avaliar isso só setorialmente. Eu não vou aqui propor a subida dos juros, porque não é apenas isso. É uma série de instrumentos que o governo teria para fazer com que a economia crescesse e o governo não tem utilizado", afirmou Aécio, na saída de um seminário organizado do PPS sobre a Esquerda Democrática realizado na Câmara dos Deputados. Para ele, a elevação da Selic, atualmente em 7,25% ao ano, é "uma questão para o Banco Central".

Aécio disse que o governo propôs medidas que têm, na opinião dele, uma série de investimentos privados no Brasil "com o intervencionismo absurdo em áreas estratégicas". "Este é um problema que o governo tem que sanar rapidamente", destacou.

Durante seu discurso no evento, que criticou o que considera uma "leniência" do Executivo no controle inflacionário, Aécio afirmou que os dados econômicos, inclusive do governo, indicam que a inflação de alimentos para as pessoas que recebem até 2,5 salários mínimos - a grande parte dos empregos gerados nos últimos dez anos foi nessa faixa, frisou - "já ultrapassou os 14%". "Portanto, algo perigoso, porque a estabilidade da moeda foi um pressuposto fundamental para que outras etapas pudessem vir", disse.

Mais conteúdo sobre:
CONVENÇÃO PP BRASÍLIA AÉCIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.