Aécio cria 'Rede' para ala jovem dos tucanos

Aécio Neves criou uma nova estrutura no partido, chamada "Rede Temática PSDB Jovem", para substituir a tradicional Juventude do PSDB, onde José Serra ainda mantém forte influência política.

ISADORA PERON, Agência Estado

15 de julho de 2013 | 08h13

A manobra do senador mineiro, eleito em maio presidente nacional do partido, é vista como estratégica na condução da campanha eleitoral do ano que vem, quando ele pretende disputar o Palácio do Planalto. A ideia é, com a nova estrutura, estreitar os laços com o eleitor mais jovem, principalmente agora que as manifestações de junho agitaram o quadro eleitoral do País. Além disso, a importância da atuação do segmento nas redes socais cresce a cada eleição.

A atual ala jovem tucana, dominada por aliados do ex-governador paulista, não está oficialmente extinta, mas não tem presidente há cerca de dois meses. Na versão oficial do partido, a eleição, que deveria ter ocorrido em maio, junto com a escolha da nova Executiva tucana, foi adiada para evitar um racha dos tucaninhos. Nos bastidores, porém, os integrantes do PSDB dizem que Aécio atuou para impedir que um nome ligado a Serra assumisse a direção da Juventude.

O nome em questão é Wesley Goggi. Capixaba, 32 anos, trazido a São Paulo em 2012 para coordenar ações na campanha de Serra à Prefeitura. Ele era favorito para assumir a Juventude do PSDB. Aécio, no entanto, tinha preferência por outro nome: Eduardo Leite, eleito o prefeito mais jovem do PSDB em 2012. Aos 28 anos, ficou conhecido nacionalmente depois das eleições como o prefeito "bonitão" de Pelotas.

Outra ação da direção do PSDB ajudou a complicar as coisas: o deputado Rodrigo de Castro (MG), aliado de Aécio, foi designado para acompanhar as negociações para a eleição da direção da Juventude tucana. A medida foi vista como uma tentativa de controlar o pleito.

Com o impasse, a Juventude do PSDB acabou sem presidente, até que na semana passada Aécio instituiu sua "Rede Jovem" - curiosamente, a estrutura traz o nome do partido que a ex-senadora Marina Silva quer fundar.

O poder da nova estrutura partidária foi dividido entre os grupos, a fim de evitar novo racha. Uma das tarefas da "Rede" tucana será reformular o estatuto e organizar um cadastro dos membros da Juventude. A ideia é botar ordem na casa, já que hoje PSDB não sabe ao certo quantos jovens militam no partido.

Também caberá ao trio preparar uma nova eleição para a escolha de quem vai comandar a estrutura durante as eleições presidenciais do ano que vem. Segundo Caio Nárcio, que integra a nova coordenadoria, o pleito será realizado até início de setembro. Para ser eleito, o candidato terá de conquistar o apoio da maioria dos 594 delegados da Juventude que têm direito a voto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBAÉCIOJOVENS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.