Aécio corteja apoio do PP em convenção da sigla

'Não enxergo um Brasil justo e solidário sem o PSDB e o PP juntos', afirmou o pré-candidato tucano à Presidência a lideranças do partido, atualmente da base do governo Dilma

Ricardo Brito, da Agência Estado

11 Abril 2013 | 12h53

O senador mineiro Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à Presidência da República em 2014, defendeu nesta quinta-feira, em discurso na convenção nacional do PP, que os dois partidos estejam juntos no futuro. "Me permitam essa ousadia final. Não enxergo um Brasil justo e solidário sem o PSDB e o PP juntos no futuro na sua construção", afirmou o tucano.

Em um rápido pronunciamento, Aécio disse que tem mais afinidades com integrantes do PP do que com políticos do seu próprio partido. O tucano, que é sobrinho do agora eleito presidente de honra do PP, senador Francisco Dornelles (RJ), afirmou que os dois partidos têm uma parceria de 10 anos de governo em Minas Gerais. Atualmente o Estado é comandado pelo aliado de Aécio, Antonio Anastasia (PSDB), tendo como vice-governador Alberto Pinto Coelho, que é do PP.

Ao lado do presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), Aécio celebrou a aliança dos dois partidos em Minas Gerais, que, segundo ele, levou melhoras significativas para a população do Estado nas áreas da saúde e da educação. Pouco depois, o presidente do Democratas, senador Agripino Maia (RN), aliado dos tucanos, também reforçou a necessidade de aliança com os progressistas. Ele disse que tem "fé em Deus" em uma união futura, e chegou a chamar o PP de "partido irmão".

Aécio e Agripino só chegaram à convenção do PP após a saída da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti. A ministra do governo Dilma Rousseff defendeu que o partido continue sendo parceiro do governo no futuro.

Mais conteúdo sobre:
CONVENÇÃO PPBRASÍLIAAÉCIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.