Aécio convida Alencar para participar de aliança em BH

Depois de se recompor com o PMDB mineiro, em jantar oferecido na véspera pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB), o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), investiu na reaproximação com o vice-presidente José Alencar (PRB). Aécio foi ao Planalto e propôs a Alencar que participe da aliança encabeçada pelo PSDB e pelo PT na disputa em Belo Horizonte. O governador e o prefeito petista da capital mineira, Fernando Pimentel, uniram-se em torno de um candidato do PSB e agora Aécio trabalha para curar as mágoas dos que ficaram fora da costura política. "Estamos negociando e vamos voltar a conversar na próxima semana", anunciou o governador ao final do encontro. Foi uma resposta a Alencar, milindrado por ter sido excluído da articulação conduzida por Aécio e Pimentel. O PMDB também foi convidado a ingressar na aliança. "É uma aliança em favor de um projeto. Seria muito bom que o vice-presidente José Alencar, o PMDB e vários outros atores políticos pudessem participar. Aí sim, a aliança para a prefeitura teria o perfil adequado. Estou otimista", disse Aécio. De qualquer forma, vai muito além da disputa municipal a ofensiva do governador para ampliar a aliança. Ele mesmo admite que ó objetivo da costura é 2010. "Acho possível uma construção extremamente ampla", afirmou Aécio.BAHIA Enquanto correm as negociações em Minas, a aliança PT-PMDB foi posta em risco na Bahia. O partido do presidente Lula retirou o apoio à Prefeitura de Salvador, comandada pelo PMDB. Por trás da decisão, estão as próximas eleições, nas quais o PT quer ter candidato próprio. Petistas dizem duvidar que o prefeito João Henrique Carneiro consiga emplacar outro mandato. A saída do PT da prefeitura causou indignação entre peemedebistas como o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e o prefeito João Henrique. Este último se disse vítima de uma "traição muito forte". Geddel também qualificou a decisão como traição. "Agora, é olhar para frente e continuar trabalhando para que possamos estar no segundo turno das eleições".Em seu blog, o ex-ministro José Dirceu considerou a decisão do PT um erro e lembrou que a aliança ajudou a eleger o governador Jaques Wagner. O governador reagiu: "O ?Zé? tem o direito de avaliar a decisão do PT baiano, mas promover a discórdia não é bom para ninguém." COLABOROU TIAGO DÉCIMO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.