Aécio: censura ao 'Estado' é 'inadequada à democracia'

'Parece que caminha no sentido da censura prévia, o que não é adequado à democracia', diz mineiro

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

03 de agosto de 2009 | 18h19

A decisão judicial que proibiu o jornal O Estado de S. Paulo de noticiar reportagens sobre a investigação da Polícia Federal (PF) contra o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi classificada hoje como inadequada à democracia pelo governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB). "Não me parece próprio, me parece que caminha no sentido da censura prévia, o que não é adequado à democracia", afirmou ele, ao participar na capital mineira da inauguração de uma exposição sobre o Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Presente ao evento, o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) também comentou a decisão do desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que concedeu liminar impedindo o jornal de publicar conversas telefônicas gravadas com autorização judicial no âmbito da Operação Faktor, originalmente denominada Boi Barrica. Azeredo defendeu a liberdade de imprensa e comparou a situação à decisão do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de cancelar a licença de emissoras de rádio do país sul-americano.

"É sempre importante que a imprensa seja livre, não é à toa que eu tenho criticado o presidente Chávez, do ponto de vista internacional. Na Venezuela ainda agora ele está mandando fechar dezenas de rádios. É claro que a censura sempre deve ser combatida", disse o parlamentar tucano. "Evidentemente que a Justiça também está no legítimo direito de poder atender uma demanda, mas o fato é que a gente deve lutar sempre pela liberdade de imprensa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.