Aécio aproveita discurso para criticar gestão do PT

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse estar emocionado em discurso durante a convenção nacional do partido que homologou seu nome para esta corrida presidencial. "Jamais pensei que pudesse estar aqui, apoiado pelas maiores lideranças nacionais", disse. Durante o evento, Aécio, agora candidato, fez um discurso com foco na união e na mudança de rumo para o País.

ELIABETH LOPES E ERICH DECAT, Agência Estado

14 Junho 2014 | 14h05

Depois de citar a família e seu avô, o ex-presidente Tancredo Neves, Aécio voltou a criticar a gestão do PT no comando do País. "O País se cansou do improviso e da má gestão", disse. "Governo se acomodou com conquistas passadas e perdeu a capacidade de avançar. Perdeu a credibilidade e impede os novos investimentos."

Aécio também voltou a dizer que o Bolsa Família, bandeira eleitoral do PT, nasceu no governo tucano. "Demos início ao que seria o Bolsa Família", afirmou. E criticou a postura do PT durante a gestão tucana com relação à questão fiscal. "Quem foi contra a Lei de Responsabilidade Fiscal é quem faz hoje a contabilidade criativa". O candidato tucano citou também escândalos, como os ligados à Petrobras. "Petrobras frequenta agora páginas policiais", disse.

Ele disse que, em sua eventual gestão, vai trazer de volta a esperança e a mudança, com a segurança de um partido que, segundo ele, sabe governar. "É urgente resgatarmos a alegria e acreditar que podemos transformar o País. Estamos aqui para dizer um basta aos que se apropriaram do Estado brasileiro", afirmou. "Há uma ventania por mudança, uma tsunami que deseja novos rumos. Vamos levar o Brasil para o reencontro com a decência, o trabalho".

No final do discurso, ele disse que está preparado para ser o candidato que irá mudar o País. "Sou candidato à Presidência da República para mudar o Brasil", disse.

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesSPMGPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.